DIA DOS FINADOS
 
 Baseado em várias fontes de informações, tem-se que o Dia dos Fiéis Defuntos, ou Dia dos Mortos ou Dia de Finados é celebrado pela Igreja Católica Apóstólica Romana no dia 2 de Novembro, sendo portanto, no Brasil, feriado oficial, já que o Brasil não é um país laico, visto que Estado e Religião ainda caminham lado a lado. Não fosse assim, também teria que se comemorar e respeitar todos os feriados de todas as religiões e credos que são professadas no Brasil.
 Os evangélicos, por seu turno, não comemoram o dia 2 de novembro tendo por base que, após a morte, a pessoa passa diretamente pelo juízo final (Hebreus 9.27) e que vivos e mortos não podem comunicar-se de maneira alguma (Lucas 16.10-31).
No judaísmo ortodoxo, os mortos são enterrados em um caixão simples, com a estrela de Davi na parte superior, enrolados em tecido branco e enterrados em cemitério próprio, o judeu. Os corpos não podem ser crremados em respeito ao finado, pois o corpo, mesmo após a morte, continua sendo propriedade de Deus. Assim que profanação de túmulos é crime. O princípio judaico inclui um conjunto de leis muito desenvolvido no tocante ao féretro, funeral e enterro de uma pessoa.
Tal qual os judeus, os islâmicos são enterrados enrolados em tecido branco, enterrados sem caixão em cemitério próprio, o islâmico e com o rosto virado para Meca. São enterrados em cemitério próprio, o cemitério islâmico. Eles são lembrados com orações no fim do Ramadã (mês sagrado) e no Dia do Sacrifício (fim do período de peregrinação à Meca).
 Segundo o judaísmo  não se comemora a data de 2 de novembro (já que o judaísmo segue calendário próprio) nem dia dos mortos, já que da vida daqueles que morreram, fica somente a lembrança. Os judeus vão ao cemitério uma vez ao ano, próximo ao ano novo judaico, celebrado em setembro, para depositar pedras nos túmulos, pois, segundo eles, as pedras não murcham como as flores.
 Seguindo a mesma linha dos judeus, os adventistas também não comemoram, considerando o Dia de Finados anti-bíblico. Segundo eles, não se deve orar pelos mortos porque a Bíblia diz que, depois da morte, segue-se o juízo. Apesar de também não comemorar o 2 de novembro, os espíritas respeitam a crença. O espiritismo ensina que as orações são bálsamos para os “desencarnados”, em qualquer dia do ano.
No budismo oriental os familiares e amigos levam aos túmulos dos antepassados incensos, frutas e flores, segundo sua crença.
A Igreja católica se apoia e se fundamenta em tradições e em 2 Macabeus 12,43-46 e Tobias 12,12, livros esses que foram extirpados da Bíblia Sagrada, por Martinho Lutero, por ocasião da Reforma, já que considerados apócrifos, estando em desacordo com o rol de livros usados pelos judeus.
Assim, a Igreja Evangélica não deve submeter-se às tradições e cultos católicos. O Dia de Finados (2) é mais especificamente celebrado pelos católicos e não deve ser “comemorado” ou “reverenciado” pelos que professam a fé cristã genuína. Evangélicos devem apenas abster-se.