Royalty é uma palavra de origem inglesa que se refere a uma importância cobrada pelo proprietário de uma patente de produto, processo de produção, marca, entre outros, ou pelo autor de uma obra, para permitir seu uso ou comercialização.[1] Seu plural é royalties.

No mercado do franchising o conceito de royalty é muito comum.

Uma Patente, na sua formulação clássica, é uma concessão, conferida pelo Estado, que garante ao seu titular a propriedade de explorar comercialmente a sua criação. Em contrapartida, é disponibilizado acesso ao público sobre o conhecimento dos pontos essenciais e as reivindicações que caracterizam a novidade no invento.

Os direitos exclusivos garantidos pela patente referem-se ao direito de prevenção de outros de fabricarem, usarem, venderem, oferecerem vender ou importar a dita invenção.

Diz-se também patente (mas, no Brasil, com maior precisão, carta-patente) o documento legal que representa o conjunto de direitos exclusivos concedidos pelo Estado a um inventor.

produção= produzir, criar algo

marca = o nome de um produto

franchising = Franchising (do inglês, Franqueamento) é um esquema utilizada pela administração que tem como propósito um sistema de venda de licença, onde o franqueador oferece sua marca, e conhecimento do negócio ao franqueado, que por sua vez, investe e trabalha de graça e paga parte do faturamento ao franqueador sob a forma de royalty.