OS TRES LEÕEZINHOS
Era uma vez, numa determinada floresta, uma leoa-mãe havia dado à luz 3 leõezinhos bem bonitinhos: O Rax, o Rix e o Rex. Um dia o macaco, representante eleito dos animais súditos, malandro e puxa-saco, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e...
 
Você é nosso visitante número:
Visitantes online
O melhor, mais ilustrado e completo site de fábulas e contos do mundo é brasileiro.
 

  

PINÓQUIO
Era uma vez, num bosque italiano, vivia um marceneiro chamado Gepeto. Vivia sozinho, era viúvo, e sonhava em ter um filhinho. Um dia, ele decidiu fazer um boneco de madeira.
- Você será o meu filhinho que eu não tive e será chamado Pinóquio.
 Nessa noite uma fada madrinha visitou a oficina de Gepeto e, ao tocar Pinóquio com a varinha mágica, disse:
 

 

 
- Vou te dar vida, boneco. Mas, deves ser sempre bom e honesto, e nunca mentir!
No dia seguinte, Gepeto notou que os seus desejos haviam se tornado realidade. E o que era boneco, ganhou vida
.

 


Gepeto ficou felicíssimo. À noite contava historinhas para Pinóquio; e também lhe contava sobre seu avô, um velho e bom carpinteiro que vivera nas montanhas italianas há muitos e muitos anos. Assim, Pinóquio viveu e cresceu cercado de estórias e fantasias como qualquer garoto gostaria de viver. Ajudava o pai nas tarefas da marcenaria e, como todo garoto, Pinóquio também tinha seus brinquedos e hobbies - criava um grilo como seu mascote. Alimentava-o todos os dias e o punha para pular e fazer exercícios e acrobacias. Pinóquio gostava de circo. E, logo que Pinóquio cresceu, como toda criança, foi enviado pelo pai à escola, sempre acompanhado de perto, atrás da orelha, pelo seu sempre fiel amigo, o Grilo Falante. O Grilo Falante, que fica sempre atrás de sua orelha representa a sua consciência, sempre a lhe chamar a atenção quando está mentindo; o seu nariz cresce à medida que mente.

Certo dia, a caminho da escola, encontraram um asno e um porco.
- Por que vais à escola se há por aí tantos lugares bem mais alegres? – perguntaram-lhe o asno e o porco.
- Não ligue para o que esse burro e esse porco dizem ! – alertou-o, o Grilo Falante.
 Mas Pinóquio, para quem tudo era novidade, acabou por dar ouvidos aos animais, deixou-se levar pela boa conversa e, ao invés de ir pra escola, foi vadiar pelo bairro, ocasião em que conheceu Estrambólicoco, o dono de um teatrinho de marionetes.
- Comigo serás o artista mais famoso do mundo! – sussurrou no ouvido de Pinóquio, o astucioso e ambicioso Estrambólicoco, vendo que poderia ganhar muito dinheiro com aquele boneco de madeira que se movia.

 - Senhoras e senhores ! O espetáculo vai começar ! Bem-vindos ao circo Estrambólico !
E Pinóquio foi a estrela, principalmente pelas suas asneiras, que causaram muitos risos na platéia. Os outros bonecos eram espertos, tinham prática, ao passo que Pinóquio era um trapalhão... E por isso ganhava as graças do público.

No final do espetáculo Pinóquio quis ir embora, mas Estrambólicoco tinha outros planos. Queria ganhar mais dinheiro e ficar rico às custas daquele boneco que não ganhava nada, a não ser a comida diária.
- De agora em diante você vai ficar preso nessa jaula ! Aqui é sua casa ! Você vale muito dinheiro, muito mais que qualquer diamante ! “
- Eu não lhe disse ? – falou o Grilo Falante. - Você não me deu ouvidos...  Mas como eu sou seu amigo, vou lhe ajudar.
Dito isso o Grilo Falante saltou de detrás da orelha de Pinóquio e correu a avisar a fada madrinha, a qual enviou uma Borboleta Mágica para salvar Pinóquio daquela situação.
Pinóquio, ao se recompor do susto, vendo-se livre, olhou abismado para a Borboleta Mágica, a qual perguntou-lhe onde morava.
- Não tenho casa - respondeu Pinóquio.
- E quem é seu pai ?  - redargüiu a Borboleta Mágica.
- Não tenho pai... - respondeu Pinóquio.
A Borboleta voltou a fazer-lhe as mesmas perguntas, e ele continuava a dar as mesmas respostas. Mas, a cada respostamentirosa que dava, o nariz em sua cara-de-pau crescia-lhe mais um pouco, pelo que não conseguiu enganar a Borboleta Mágica.
- Não quero ter esse narigão ! - soluçou Pinóquio.
- Terás que te portar bem e nunca mais mentir! Volta para casa e vá à escola. - disse-lhe a Borboleta Mágica.
Ao regressar a casa, Pinóquio foi recebido com muita alegria por Gepeto;  passou a comportar-se bem. 
Algum tempo depois, quando ia para a escola, novamente voltou a encontrar no caminho o asno e o porco que o convidaram a ir a uma casa de jogos eletrônicos e games, e ser livre.
Mais uma vez Pinóquio não resistiu à tentação e lá se foi com o asno e o porco. Assim que entrou naquela espelunca começaram a crescer-lhe as orelhas e sua cabeça a transformar-se em cabeça de burro. Aflito, pediu socorro ao seu amigo o Gril
o Falante, quelhe disse:
- Bora, Pinóquio. Conheço uma saída secreta...! Você não queria ser burro ? ou porco ?  Pois bem, eles iam levá-lo a um curral e chiqueiro! Mas eu vou lhe ajudar !
- Sim, vou lhe dar ouvidos, meu amigo.
Ao chegarem em casa encontraram-na vazia. Souberam por umas pessoas que Gepeto, triste, tinha feito um barquinho e viajado mar afora à procura do filho. Como o Grilo Falante era muito esperto, ensinou Pinóquio a construir uma jangada. Dois dias mais tarde, quando navegavam já longe de terra, avistaram uma baleia.
- Essa baleia vem direto ao nosso encontro ! gritou o Gilo Falante.
- É melhor saltarmos ao mar ! Gritou Pinóquio. E pulou ao mar.


Mas não se salvaram ... a baleia os  engoliu. Descobriram, entretanto, que no interior da barriga da baleia estava Gepeto, que tinha naufragado durante uma tempestade e tinha sido engolido pela baleia.
 Depois de se abraçarem, resolveram acender uma fogueira. E foi aquela fumaceira. A baleia tossiu e espirrou, deu um grande espirro, jogando-os para fora.  Foram cair em terra firme.


Perdoe-me, papai - suplicou Pinóquio muito arrependido.
E a partir daí mostrou-se tão dedicado e bondoso e nunca mais mentiu. A fada madrinha, no dia do seu aniversário, transformou-o num menino de carne e osso ... num menino de verdade.
- Agora tenho um filho de verdade ! – exclamou o pai Gepeto radiante e transbordando felicidade.

 

 
Versão para Impressão     
   
Nome:   alexsandra
Comentário:  kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
eu pensava q pinoquio era xato + e muito legal
   
Nome:   patricia link ortiz
Comentário:  adorei vou contar essa historia para meu filho.
   
Nome:   gabriella araujo
Comentário:  eu acho essa historia muito boa.



 Envie seu comentário abaixo
Nome: 
E-mail: 
Comentário: 
 Código de validação: 
33467
 
  FÁBULAS
CONTOS
CONTOS de FADAS
ARTIGOS
CRÔNICAS
  LENDAS
FOLCLORE
PARLENDA
TRAVA-LÍNGUAS
1001 PERGUNTAS
DiTADOS POPULARES
CHARADAS
PIADAS
MITOLOGIA GRECO-ROMANA
POESIAS
RELIGIÃO
BIOGRAFIAS
PARTITURAS
CANTINHO DO ALUNO
LOGIN / LOGOUT