OS TRES LEÕEZINHOS
Era uma vez, numa determinada floresta, uma leoa-mãe havia dado à luz 3 leõezinhos bem bonitinhos: O Rax, o Rix e o Rex. Um dia o macaco, representante eleito dos animais súditos, malandro e puxa-saco, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e...
 
Você é nosso visitante número:
Visitantes online
O melhor, mais ilustrado e completo site de fábulas e contos do mundo é brasileiro.
 

 

                                                         NARCISO

   Na mitologia greco-romana Narciso ou O auto-Admirador, era um herói do território de Téspias, Beócia, famoso pela sua beleza e orgulho. Filho do deus-rio Cefiso e da ninfa Liríope, no dia do seu nascimento, o adivinho Tirésias vaticinou que Narciso teria vida longa desde que jamais contemplasse a própria figura. Narcótico, da palavra grega narke, "entorpecido" de onde também vem a palavra narcótico.  Assim, para os gregos, Narciso simbolizava a vaidade, embevecimento e insensibilidade, visto que ele era emocionalmente entorpecido às solicitações daquela que se apaixonara pela sua beleza, a ninfa Eco. Como punição, foi amaldiçoado de forma a apaixonar-se incontrolavelmente por sua própria imagem refletida na água. Incapaz de levar a termos sua paixão, Narciso cometeu suicídio, afogando-se.
 
   Em Metamorfoses, Ovídio conta a história de uma ninfa bela e graciosa tão jovem quanto Narciso, chamada Eco e que amava o rapaz, em vão. A beleza de Narciso era tão incomparável que ele embevecido, pensava que era semelhante a um deus, comparável à beleza de Dionísio e Apolo. Como resultado disso, Narciso rejeitou a afeição de Eco até que esta, desesperada, definhou, deixando apenas um leve eco nas cavernas da floresta ali perto, um sussurro débil e melancólico. Para dar uma lição ao rapaz frívolo, a deusa Nemeses condenou Narciso a apaixonar-se pelo seu próprio reflexo na lagoa de Eco. Encantado pela sua própria beleza, Narciso deitou-se nas margens do rio e definhou, olhando-se na água e se embelezando. As ninfas construíram-lhe uma pira, mas quando foram buscar o corpo, apenas encontraram uma flor no seu lugar: a flor chamada narciso.
 
    Em psicologia e psiquiatria, o narcisismo recebe o nome de Transtorno de Personalidade Narcisista, condição patológica que dificulta o individuo de vir a ter uma vida satisfatória. Indivíduos com esse transtorno julgam-se grandiosos e possuem necessidades constantes de admiração e aprovação de outras pessoas. Querem que os outros se espelhem em si que cometam excessos, no chamado culto à corpolatria, o culto ao corpo e às academias, malhação e puxar-ferro, fazendo com que muitos, e não poucos, recorram a anabolizantes e drogas, presunçosos e arrogantes como um Arnold Schwarzennegger. Fantasias de sucesso ilimitado e fugaz, força e beleza corporal, acreditam-se únicas e especiais. Porém, no tocante ao universo feminino costumam ser um fracasso e são um verdadeiro fiasco sexual. Tendem a formar amizades e relacionamentos românticos, porém estão mais interessados em seus pares.  Têm dificuldade em reconhecer e satisfazer os desejos femininos. 
   Com necessidade constante de atenção e admiração, mesmo no maior dos invernos luzem o seu egoísmo ao trajarem uma camiseta fina para exibir os braços anabolizados e deformados, comportamentos arrogantes e insolentes, geralmente esnobes, que beiram a babaquice e estupidez.
 
Versão para Impressão     
   
Nome:   kadimiel
Comentário:  Lindo esse conto, e o mas lindo, q jà ouvie falar!!!!



 Envie seu comentário abaixo
Nome: 
E-mail: 
Comentário: 
 Código de validação: 
60468
 
  FÁBULAS
CONTOS
CONTOS de FADAS
ARTIGOS
CRÔNICAS
  LENDAS
FOLCLORE
PARLENDA
TRAVA-LÍNGUAS
1001 PERGUNTAS
DiTADOS POPULARES
CHARADAS
PIADAS
MITOLOGIA GRECO-ROMANA
POESIAS
RELIGIÃO
BIOGRAFIAS
PARTITURAS
CANTINHO DO ALUNO
LOGIN / LOGOUT