OS TRES LEÕEZINHOS
Era uma vez, numa determinada floresta, uma leoa-mãe havia dado à luz 3 leõezinhos bem bonitinhos: O Rax, o Rix e o Rex. Um dia o macaco, representante eleito dos animais súditos, malandro e puxa-saco, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e...
 
Você é nosso visitante número:
Visitantes online
O melhor, mais ilustrado e completo site de fábulas e contos do mundo é brasileiro.
 

Eunectes murinus

A COBRA GRANDE (SUCURI)

   É uma das mais conhecidas lendas do folclore amazônico. Conta a lenda que em numa tribo indígena da Amazônia, uma índia, grávida da Boiúna (Cobra-grande, Sucuri), deu à luz a duas crianças gêmeas que na verdade eram Cobras. Um menino, que recebeu o nome de Honorato ou Nonato, e uma menina, chamada de Maria. Para ficar livre dos filhos, a mãe jogou as duas crianças no rio. Lá no rio eles, como Cobras, se criaram. Honorato era Bom, mas sua irmã era muito perversa. Prejudicava os outros animais e também às pessoas.

Eram tantas as maldades praticadas por ela que Honorato acabou por matá-la para pôr fim às suas perversidades. Honorato, em algumas noites de luar, perdia o seu encanto e adquiria a forma humana transformando-se em um belo rapaz, deixando as águas para levar uma vida normal na terra.
Para que se quebrasse o encanto de Honorato era preciso que alguém tivesse muita coragem para derramar leite na boca da enorme cobra, e fazer um ferimento na cabeça até sair sangue. Ninguém tinha coragem de enfrentar o enorme monstro.
Até que um dia um soldado de Cametá (município do Pará) conseguiu libertar Honorato da maldição. Ele deixou de ser cobra d'água para viver na terra com sua família.

Origem: Mito da região Norte do Brasil, Pará e Amazonas.

   A sucuri pode viver até 30 anos, chega a pesar até 150 kg, sendo a segunda maior serpente do mundo, perdendo apenas para a piton reticulada, da Índia. As fêmeas são maiores que os machos, atingindo maturidade sexual por volta dos seis anos de idade. Geralmente são encontradas em regiões alagadas e rios, onde encontram suas presas preferidas (jacarés e capivaras).  Os desenhos de seu corpo até o rabo lembram a letra O. Não são cobras peçonhentas, isto é, não possuem veneno.  Matam suas presas por contrição, enroscando-se nelas e sufocando-as, como a jibóia, quebrando-lhe os ossos, para depois engolir inteira.  Há muitos contos sobre ataques destas serpentes a seres humanos, no entanto, a maioria dos casos são fictícios, principalmente no que se diz respeito ao seu tamanho real. Muitos admitem terem sido atacados por espécies com mais de 10 metros. Os registros confirmados das maiores chegam em torno de 8 metros. A maior sucuri que se tem registro por fonte confiável, foi a encontrada no início do século XX, pelo explorador Marechal Cândido Rondon e que media 11 metros e 60 centímetros.

Fonte: pt.wikipedia.org

 
Versão para Impressão     
   
Nome:   ingrid
Comentário:  achei otimo muito bom
e foi uma otima lenda para o meu trabalho da escola



 Envie seu comentário abaixo
Nome: 
E-mail: 
Comentário: 
 Código de validação: 
38660
 
  FÁBULAS
CONTOS
CONTOS de FADAS
ARTIGOS
CRÔNICAS
  LENDAS
FOLCLORE
PARLENDA
TRAVA-LÍNGUAS
1001 PERGUNTAS
DiTADOS POPULARES
CHARADAS
PIADAS
MITOLOGIA GRECO-ROMANA
POESIAS
RELIGIÃO
BIOGRAFIAS
PARTITURAS
CANTINHO DO ALUNO
LOGIN / LOGOUT